quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

De 2015


Dias foram em que se esperou
Uma luz se acendeu
Outra balanceou

Passos adequei
Desafios alcançados
Alegria em ser o que serei

Esperança, alguma desfaleceu
O sorrir se fez pouco
Nem toda satisfação se deu

Mas ao olhar adiante
A luz, enfim, é expelida

Do Soberano, a Paz vem do céu
Requerida alegria 
Esperança no Deus Emanuel!


(Raquel Murad)

domingo, 1 de novembro de 2015

Move ao movimento

Subo na dança
Corro ao céu
Como o ar
Deleite em véu

Cubro os olhos da emoção
Dançando ao som da vida
Crio um lugar de canção
Escrevo à esperança contida

Amo o mover
Vislumbro o girar
O corpo à prova
Remete a voar

Quero reviver sempre esse tom
Buscar no infinito a lembrança
Que me instruiu a buscar o dom
De bailar a vida como criança!

Raquel Murad em #SaudadesDaDança

sábado, 31 de outubro de 2015

Espírito x Corpo / Queda x Salvação

Somos imagem e semelhança de Deus, pois somos os únicos seres capazes de expressar o que só Deus pode expressar:  a capacidade de unidade, quando mais de um se torna um só. O homem à imagem e semelhança de Deus é um ser coletivo. 

Nossa grande luta é submeter nosso corpo ao nosso espírito, como ocorreu na Tentação de Jesus no deserto: os 40 dias de jejum mostram a espera em que ele coloca sua parte mais frágil à prova: seu corpo. O processo de crescimento é um processo em que se submete o corpo ao espírito. 

O espírito nasce morto e tivemos que criar um quadro de identidade, numa alienação pela queda (romper com o planeta, com a vida, precisando de um Salvador), em que não sabemos quem somos e como nos portar. 
Depois Deus nos alcança e nos tira dessa alienação, e o Espírito, com Cristo, passa a assumir o corpo, expressando-se em nós. 

(Inspirada nas palavras do pr. Ariovaldo Ramos)

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Reflexão da existência

Tolerar a existência
É desfrutar do existir
Afastar-se de seu gosto
É encontrar-se em penitência

Trabalhar em favor de vida
Cuidar de vidas alheias
É saber da eternização
Conciliada ao fato de ser

Abdicar-se do viver
Infringir a valorização
É coexistir num lugar infernal
Onde se aprisiona em desilusão

Ser senhor da sua existência
Indicará seu seguimento
Viver em Vida ou em morte
Em Deleite ou inferno!

Raquel Murad

domingo, 3 de maio de 2015

Transformo em palavras o meu amor
Exaustas, fatigadas
Não sabem a si transpor
Falham ao serem expressadas
E a mim não concedem esse favor.

Lutam, intrigam
Insistem em se revelar
Mas meu coração regurgitam
Não conseguem manipular

Dizem elas: como pode um infinito
Estar em um único lugar?
Respondo: devo isso ao Renato
Que minhas palavras insiste em esgotar.

(Raquel Murad)

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Caminhar

Nesse amor eu quero caminhar...
E para cada dor, mil alegrias te dar
Para cada passo tortuoso
Um renovo
Quero ser sempre seu porto
Pois de todos os tesouros,
A riqueza maior é estarmos juntos!
Te amo, Renato!

Mensagem de Natal 2014

Buscamos, quase sempre, o mais lógico, o mais fácil, justamente pela nossa natureza humana, vislumbrada no conforto.
Instaurar novas tecnologias, esmiuçar o planeta em que vivemos, saber de cor os pensadores antigos, analisar esplendidamente a economia mundial, curar com a medicina, voar como pássaros, desvendar o espaço, conhecer novos planetas... Tudo isso é instintivo ao homem, acontece usando lógica, razão, estudando. Porém, quero lhes falar que falta a nós, homens de hoje, desmistificar o que não se pode controlar, o que não é óbvio, não é fácil: falta-nos amar. Não somente verbiar... Amar é doar-se, viver como irmãos. Amar depende de sentir, não de saber; amar depende de escolha, não de dom; amar depende de se aventurar no escuro, não de andar por onde se pode prever; amar é renunciar seu comodismo, não só fazer o que é fácil. Amar vem de Deus, Ele nos escolher para assim viver. O resto: as conquistas, a sabedoria, as tecnologias, o mundo espacial... São meros detalhes. Sem amor, nada disso faria sentido. Nesse Natal e por toda vida, vamos escolher amar!
Raquel Murad